Pesquisar
Close this search box.

Do bom e mau; do bem e mal

Edital – edição: 870 – sexta-feira, 06/05/22

Olá, querido leitor e cara leitora do JR

Maniqueísmo, maniqueísta. Vocês já ouviram essas palavras, sabem o que o campo semântico que gravita em volta delas traz como significado?


Basicamente, é você ver o mundo e dividí-lo, me qualquer situação, em bem e mal. Se uma coisa é boa, então não pode ser má. Por outro lado, se a coisa é má, ela nunca será boa.


As pessoas estão cada vez mais maniqueístas. Em qualquer discussão, deve-se tomar um lado: ou você é contrário ou a favor daquela situação, pessoa, pensamento…


Mas é possível que as duas coisas sejam boas e más ao mesmo tempo. Quer dizer, uma pessoa pode ser boa e má, má e boa. Na literatura, nas artes, no cinema, as personagens que são superficiais, sem complexidades, são boas o livro todo, o filme todo, a novela toda. Da mesma maneira, as más o são também durante todo o desenrolar do enredo.


Já as personagens complexas são boas e más, assim como todos nós.


Então, é possível você ser contra os dois lados em uma situação ou ver a coisa boa nos dois opostos. A mente humana consegue fazer coabitar dois sentimentos antagônicos em relação a um mesmo objeto.
O ser humano e as situações criadas por ele trazem, no bojo, bondade e maldade. Um observador mais crítico consegue enxegar esses dois contrários, sem tomar um partido, um lado.


O caso da escola municipal de Rolândia, com as duas músicas mais ‘pervertidas’, revela bem isso. Os vídeos com as músicas sendo cantadas pela maioria das crianças, inclusive com gestos, pulularam pelas redes sociais e foram compartilhados ao máximo.


Obviamente que foi errado, mas ameaçar a cantora e a diretora da escola é um erro muito maior.
Outra coisa, os vídeos com a cantora pedindo desculpas, logo após as músicas mundanas, e com a cantora cantando um louvor acompanhada das crianças, ainda no mesmo evento, não foram difundidos com a mesma verocidade e velocidade pelas pessoas. Deveriam ter sido para que a população pudesse fazer um juízo mais justo sobre o caso.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Sobre muitos assuntos

Editorial – Edição: 963 – sexta-feira, 19/04/24 Querida leitora e caro leitorMuitos assuntos e pouco espaço. Já ouvimos uma data para a implantação do estacionamento

Cotidiano

Um ano do falecimento do Padre Zé

Monsenhor José Ágius faleceu na cidade de Victoria no dia 18, depois de passar em Munxar, sua aldeia-cidade natal no dia 17 Nesta quinta-feira (18),