Pesquisar
Close this search box.

Obra de revitalização da Ciclovia ainda não começou

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cotidiano
  6. /
  7. Obra de revitalização da...

Empresa responsável por executar a revitalização da Ciclovia do Trabalhador, em Rolândia, não cumpriu com o prazo estipulado para dar início à obra e projeto poderá passar por nova licitação

E nada da obra de revitalização da ciclovia começar

Após ganhar o processo de licitação de pavimentação e recape asfáltica da Ciclovia do Trabalhador de Rolândia, a empresa Axpav Terraplanagem, de Alvorada do Sul, não cumpriu com o prazo e não iniciou a obra, tão esperada pelos rolandenses. A assinatura do contrato foi realizada no dia 04 de maio e desde então a empresa tinha o compromisso firmado de dar início a revitalização em até de 21 dias, entretanto, o prazo não foi cumprido.


“Após os 21 dias de espera, a empresa foi notificada, depois da notificação a pessoa responsável pela empresa conversou com o secretário de Planejamento, Zeca Salgueiro, afirmando que começaria no dia 16 de junho, e que ia dar tempo de fazer uma medição para nós empregarmos o primeiro pagamento junto ao Paranácidade, mas ele não veio fazer a obra. Dias depois o responsável entrou em contato e justificou que não poderia começar a obra, pois não tinha disponibilidade de máquina”, explicou o prefeito de Rolândia, Ailton Maistro (PSL).


O vereador Guilherme Spanguemberg (PTB) também comentou sobre o atraso da obra durante a última sessão da Câmara de Vereadores e ressaltou a importância do cumprimento dos prazos, especialmente por conta ser ano de eleição presidencial. “Nós temos prazo para cumprir principalmente por conta do período eleitoral, e também porque a cidade clama por essa obra que precisa começar com urgência e é uma das mais aguardadas do município”, afirmou o vereador.


Vale ressaltar que o convênio para a realização da obra tem o valor de R$ 1,526 milhão, sendo R$ 1,1 milhão de emenda do deputado estadual Tiago Amaral, que atendeu ao pedido dos vereadores Guilherme Spanguemberg e Isaac Altino. A prefeitura havia entrado com a contrapartida de R$ 426 mil. Diante dos últimos acontecimentos, o prefeito está analisando a melhor forma de resolver o problema, seja destinando o valor da emenda para alguma outra obra importante, e fazendo uma nova licitação com recursos próprios. “Vou falar com o deputado Tiago Amaral para ver se podemos destinar esse valor para outra obra”, afirmou o prefeito.


“Se nenhuma das possibilidades derem certo, essa obra só poderá começar depois da eleição. Infelizmente essa empresa, ao meu ver, não tem idoneidade e já mostrou que não honra o compromisso, então, não a queremos mais. Vou me reunir com o secretário de Planejamento, Zeca Salgueiro, e tentar fazer uma nova licitação com recursos próprios, caso contrário, a revitalização com a emenda do deputado deve ficar para depois da eleição”, pontua Maistro.


Na ocasião da licitação, a empresa Axpav tinha vencido com a oferta de R$ 1.461.984,92 pela obra de 17.614,74 m2, sendo 15.065,51 m² de recape asfáltico em CBUQ e 2.549,23 m² de pavimentação em concreto armado incluindo serviços preliminares, limpeza do terreno, terraplenagem, base e sub-base, piso em concreto sarrafeado, sinalização de trânsito, ensaios tecnológicos e placa de obra. O preço máximo era de R$ 1.526.921,65 e o prazo de execução era de 240 dias, ou seis meses.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Em busca do ‘futum’

Editorial – Edição: 955 – sexta-feira, 16/02/24 Olá, querido leitor e cara leitora do JR As reclamações sobre o mau cheiro que tem se espalhado