Pesquisar
Close this search box.

Rolândia: colégios estaduais com salas de escuta ativa

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Educação
  6. /
  7. Rolândia: colégios estaduais com...

Sala de atendimento criada pelo Estado busca abordar diversos assuntos dentro do ambiente escolar, inclusive o bullying e a falta dos alunos

A reunião foi realizada na sede da Assistência Social de Rolândia

A Secretaria de Assistência Social de Rolândia realizou uma reunião para falar sobre uma novidade que será implantada nas instituições estaduais do município: a sala de atendimento de escuta ativa. O encontro aconteceu na sede da Assistência na quinta-feira (15).


De acordo Fernanda Buranello, diretora da Assistência Social, essa sala foi criada pelo Governo do Estado e visa abordar diversos assuntos que tenham relação com o ambiente escolar, incluindo o bullying e as faltas dos alunos, por exemplo.


Buranello explicou que a escuta ativa busca oferecer atendimento aos alunos sobre assuntos relacionados ao ambiente escolar. Já a escuta qualificada, implementada pelo município, concentra-se no combate à violência contra crianças e adolescentes. “Essa sala nas instituições serão para fornecer o atendimento de escuta ativa, que é pouco diferente da nossa no município, a escuta qualificada, pela qual abordamos a questão da violência contra as crianças e adolescentes”, explicou a diretora.


O entendimento do Conselho Tutelar e da Criança e da Secretaria de Assistência Social é de que, ao abrir essa sala de escuta ativa, poderão surgir casos relacionados à violência contra crianças e adolescentes, pois esses jovens podem sentir-se mais à vontade para compartilhar suas experiências com os pedagogos responsáveis.


“Nesses casos, será fundamental encaminhar as informações para o Conselho Tutelar, a fim de que sejam tomadas as medidas necessárias para a proteção desses estudantes. Portanto, o objetivo da reunião foi orientar as escolas nesse aspecto”, pontuou Fernanda.


O encontro contou com a participação da secretária da Assistência, Michele Pereira, do presidente do Conselho Tutelar de Rolândia, Rogério Santana, e dos pedagogos dos colégios estaduais Luzinete Anjos Magalhães (Professor Francisco Villanueva), Vivian Rodrigues (Jose Alexandre Chiarelli), Silvia Garcia (Presidente Kennedy), Devonir Júnior (Padre José Herions), Joana Laurda (Souza Naves) e Araceli Marangon (Assistente do Município).


Sendo o bullying um dos assuntos que podem ser abordados na sala de escuta ativa, vale complementar que, de acordo com um levantamento qualitativo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que compilou informações dos últimos dez anos – de 2011 a 2021, três em cada dez estudantes do Paraná já praticaram ou foram vítimas de bullying no ambiente escolar.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM: