Pesquisar
Close this search box.

Fisiculturista busca ajuda para ir a Sul-Americano

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Esporte
  6. /
  7. Fisiculturista busca ajuda para...

Rolandense Lucas Eduardo Dornellas vai participar de um campeonato internacional no dia 20 de novembro em Maringá e busca patrocínio para competição; atleta teve acidente de motocicleta em 2022 e ficou três meses sem poder treinar

O atleta de fisiculturismo Lucas Eduardo Dornellas (25), morador do Jardim Imperial, de Rolândia, está em busca de um apoio para poder participar do Campeonato Sul-Americano de Fisiculturismo que ocorre no próximo dia 20 em Maringá. Lucas já é atleta da modalidade há quatro anos e compete há três, mas em 2022 ficou três meses sem poder treinar devido a um acidente de motocicleta. “Eu comecei da estaca zero e, em apenas cinco meses, consegui transformar meu corpo para voltar a competir”, revela o atleta.


De acordo com Lucas, o campeonato de Maringá é o mais esperado e o principal do sul do país, além de ser realizado pela Federação Paraná Fisiculturismo & Fitness (PR-FF). Participar deste evento é realmente de grande importância para ele, pois, além da premiação, também ajuda na oferta de visibilidade do seu trabalho como atleta de fisiculturismo em toda a região sul do Brasil.


O grande empecilho que dificulta a participação de Lucas em muitas outras competições pelo país é o custo. “Participar deste tipo de competição é muito caro. Recentemente eu participei de um campeonato em Curitiba e fiz uma estimativa somente dos gastos de viagem, de pintura corporal, de inscrição, de fotos, e deu em torno de R$1.500. E esse realmente é o mínimo que geralmente gastamos, pois eu realmente economizei ao máximo possível”, compartilha o atleta.


Neste momento, Lucas já conta com o auxílio de alguns profissionais, que estão ofertando seus serviços a ele como um apoio, ou seja, sem cobrar pelo atendimento. “Hoje conto com o apoio de um nutricionista que cuida da minha alimentação e não cobra nada e também tenho o apoio do laboratório Novaes que vai fazer meus exames médicos. Como todo esporte de alto rendimento prejudica um pouco a saúde, tenho que estar sempre fazendo exames e sendo acompanhado”, ressaltou o fisiculturista rolandense.


Como o fisiculturismo é um esporte que lida diretamente com a estética, claro que com com a estética dentro do esporte e dentro dos padrões estabelecidos, a aparência é algo que também conta muito na avaliação durante a competição, e o Lucas também aproveitou a oportunidade para agradecer a ajuda de outros patrocinadores que estão auxiliando nessa parte. “Também estou tendo o auxílio da Sorrifácil que está cuidando do meu sorriso e da Barbearia Retrô, que está sempre cortando e cuidando do meu cabelo para competir. Todos estes detalhes contam pontos”, pontua o atleta.


A ajuda que o atleta mais necessita é em relação à inscrição que, segundo ele, é o item mais caro. “Em todo campeonato há várias categorias, por exemplo, em Curitiba, onde eu participei da Copa Sul de Fisiculturismo, competi na categoria Bodybuilder até 90kg, na qual fiquei em Top 4, e na categoria Classic Physic acima de 1,75cm alcancei o Top 3. Lá, eu paguei a filiação, que foi R$ 400 da Federação, e mais as inscrições. Nesse agora de Maringá não tem filiação, mas aí tem as inscrições e eu tenho que subir em pelo menos três categorias. Cada uma delas é de 300 a 350 reais”, informa Lucas.


Para o atleta, o esporte do fisiculturismo é um estilo de vida, é algo que o transformou por completo e que, por isso, todo o esforço é recompensador e válido diante das circunstâncias e dificuldades enfrentadas. “Além de eu me sentir muito bem competindo, o fisiculturismo agrega muito em minha vida.

Eu sou educador físico e estudante de Nutrição, por eu já estar na área da saúde, este esporte em si me traz muito mais conhecimento, além de também ajudar as pessoas que estão em torno de mim, pois sempre gosto de compartilhar aquilo que eu aprendo”, reforça.

Como ajudar
Quem puder ajudar o atleta neste momento, pode entrar em contato com ele pelo Instagram por meio do @olucasdornellas. O telefone para contato é (43) 9.9611-6236, que também é o seu código Pix caso alguém queira fazer uma doação. “Toda ajuda será muito bem-vinda. Acredito que com meu trabalho eu também consiga levar o nome da cidade para muitas outras regiões, e isso é muito importante”, finaliza o atleta Lucas Eduardo Dornellas.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

FOTO(S) DESTA MATÉRIA

VEJA TAMBÉM:

Esporte

Cambé: Ouro e Plus no esporte

Município recebeu o último selo de programa de esporte do Governo do Estado; Cambé é a 2ª cidade entre as 27 do Norte do Paraná

Esporte

Karatê: Rodolfo é faixa-preta

Rolandense é o 1º karateca com Down a receber a faixa-preta no Paraná Rodolfo Augusto Schmidt Martins é um garoto rolandense de 20 anos. Portador