Pesquisar
Close this search box.

Vereadora denuncia descaso com aterro sanitário

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Meio Ambiente
  6. /
  7. Vereadora denuncia descaso com...

Cristina Pieretti falou do assunto na sessão da segunda-feira passada; Ambiente diz que serviço está sendo feito, mas que faltam pessoas

Situação do barracão no aterro sanitário de Rolândia na terça-feira desta semana

A vereadora Cristina Pieretti (PP) cobrou providências do Poder Executivo de Rolândia em relação ao lixo reciclável e ao aterro sanitário. A denúncia e a cobrança foram feitas pela parlamentar na sessão da segunda-feira (27). Enquanto mostrava fotos do aterro abarrotado de material reciclável, Cristina afirmou sobre a necessidade do município fazer a reciclagem desse material.


“O prefeito Ailton Maistro pediu um prazo para que ele comece a realizar o que tem de realizar. Olhem o nosso aterro sanitário depois de um ano e meio de gestão do prefeito. Será que nós podemos aceitar que nosso centro de reciclagem esteja desse jeito? Que reciclagem o município tem feito? Rolândia precisa fazer reciclagem”, pontuou Cristina.


A vereadora afirmou estar preocupada pois só há mais uma baia para lixo orgânico no aterro. “Daqui a alguns dias chega aqui projeto pra ampliar o aterro sanitário porque não fazemos reciclagem. Se fizermos, não precisamos ampliar nosso aterro”, afirmou Pieretti em seu pronunciamento.


“Se for preciso comprar equipamento ou ampliar o barracão, então que o faça. Se for preciso uma nova licitação para que outra empresa toque o reciclado do município, que a faça. Não podemos permitir que nosso aterro fique desse jeito que está aí nessa foto”, concluiu a parlamentar.


O JR procurou o secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Rolândia, Audinil Maringonda Junior, para falar das denúncias da vereadora. “Não houve nada, tem bastante material para reciclar e as pessoas que trabalham lá não estão dando conta. A coleta continua igual, só que juntou muito material para separar”, afirmou o secretário.


Audinil também salientou que não há pessoas querendo trabalhar nessa função de separação de reciclável. “Aí vão poucas pessoas lá e não dão conta de fazer tudo o que precisa ser feito e o local fica cheio de material, que vai se acumulando”, pontuou. O secretário de Meio Ambiente também revelou que sairá um novo edital de operação do aterro sanitário. “Vamos mexer em mais alguma coisa nesse edital para melhorar essa situação”, concluiu Audinil.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Meio Ambiente

Arapongas pode ter hospital veterinário

Reunião na capital do estado busca parceria para instalação de hospital veterinário no município de Arapongas O município de Arapongas poderá ter um hospital veterinário.