Pesquisar
Close this search box.

Quem não votou no 1º turno pode fazê-lo no dia 30

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Política
  6. /
  7. Quem não votou no...

A Justiça Eleitoral considera cada turno como uma eleição; por isso, é possível votar no segundo pleito mesmo não tendo comparecido ao primeiro

O chefe do cartório de Rolândia, Mario Bannwart

A eleitora ou o eleitor que não votou no primeiro turno das Eleições 2022 – que ocorreu em 2 de outubro – pode e deve votar no segundo turno, marcado para o próximo dia 30. Para isso, basta estar em situação regular com a Justiça Eleitoral, ou seja, o título de eleitor não pode estar cancelado nem suspenso. Neste ano, os eleitores que não votaram e nem justificaram a ausência no 1º turno das Eleições no dia do pleito contam com mais uma ferramenta para regularizar o não comparecimento às urnas.


“Quem faltou no 1º turno vai ter que ter alguma justificativa para apresentar ou terá que recolher a multa. Quando o eleitor está no território nacional tem até 60 dias após eleição para fazer isso. É possível fazer a justificativa para fazer pelo aplicativo e-Título, pelo Sistema Justifica, ou ir pessoalmente no Cartório Eleitoral”, informa o chefe do Cartório Eleitoral de Rolândia, Mário Bannwart.

Abstenções
Em Rolândia houve uma abstenção grande por parte do eleitorado. Um total de 10.102 mil eleitores não compareceram às urnas, o que equivale a 20,52% das pessoas aptas a votar no município.


Em Cambé, a abstenção teve números percentuais similares. “Tivemos 18,99% de abstenção no 1º turno, cerca de 14 mil eleitores”, revela Camila Garcia, chefe do Cartório Eleitoral daquela cidade. Entretanto, mesmo com esse percentual alto, o 1º turno também marcou um comparecimento histórico dos cambeenses nos colégios eleitorais. No dia 02 de outubro, um total de 60.009 mil eleitores participaram do pleito, o que representa 81% da população apta a votar em Cambé. Do total de pessoas que votaram no 1º turno em Cambé, cerca de 1.800 foram nulos e 1.077 votos foram em branco.

Problemas em urnas
“Com relação às urnas, tivemos duas delas trocadas no Colégio Presidente Kennedy, uma no Parigot de Souza, uma no Centro Comunitário João de Deus, duas urnas no Colégio Souza Naves, uma na Escola Monteiro Lobato e duas urnas foram trocadas no Colégio Roland na mesma sessão. No total, foram 9 urnas substituídas em Rolândia”, apontou Mário Bannwart.


Já nos 25 locais de votação de Cambé, em que estão distribuídos em 208 seções que atenderam aos 74.167 mil eleitores aptos a votar na cidade, não houve nenhuma troca de urnas. “Ouvi sobre os problemas que ocorreram em Rolândia e em Londrina com as urnas. Aqui, não tivemos nenhuma substituição”, afirmou Camila Garcia.


Em tempo, as urnas de Cambé são do modelo de 2015 e em Rolândia e Londrina há modelos de 2011.
Outro problema, a demora em algumas filas ,ocorreu em decorrência da biometria. “Tivemos essa demora também porque foi aumentado o número de eleitores por seção. Antigamente o máximo de uma seção era de 400 e agora pode-se chegar até a 450 eleitores”, justifica Mário.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

FOTO(S) DESTA MATÉRIA

VEJA TAMBÉM: