Pesquisar
Close this search box.

A Fé com contentamento

Por Humberto Xavier Rodrigues

De fato, grande fonte de lucro é a fé com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. 1 Timóteo 6:6-8.

Já é comum em nossos dias dizer que somos uma “sociedade de consumo”. Somos consumidores de fato! Muitos de nós fomos ensinados que ter mais é melhor e que, quanto maior, melhor. Certa vez, perguntaram a John D. Rockefeller quanto dinheiro ele precisaria ganhar para ficar satisfeito. Ele retrucou: “Apenas um pouco mais”.


“Uma vida desprendida é aquela que não se deixa transtornar por nada e que não está agarrada a nada; que de modo algum vive apegada ao que pensa ser o melhor de si ou, para si mesmo, e que, em nada vê proveito próprio”. Meister Eckart. (1250 d.c.)


Nisto, o nosso Senhor Jesus nos adverte quanto a ansiedade: Por isso vos digo: Não andeis ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? (Mateus 6:25).


Assim, nas necessidades simples da vida, devemos viver sob os cuidados de Deus. E, nesta simplicidade de significado, o Senhor Jesus compara a vida dos que creem com os lírios: E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles (Mateus 6:28-29).


Os lírios do campo dão ao homem uma grande lição, em sua completa adaptação às leis, dos seus respectivos planos. Expressam profundamente suas verdadeiras naturezas, vivem suas vidas de acordo com elas, sem conhecer a preocupação e a ansiedade que arruinam tantas vidas humanas.


Os lírios são as belas papoulas silvestres do Oriente e, quem quer que tenha visto um campo de papoulas dançando e balançando à brisa compreenderá a sensação de serenidade, liberdade e alegria que Jesus afirma nos pertencer por direito. Naturalmente, Jesus não quis dizer que devemos copiar a vida e os métodos das flores, pois somos infinitamente mais elevados do que elas na escala da criação. O ensino é que devemos estar completamente confiantes no amor de Deus.

Amém!!!

Humberto Xavier Rodrigues é formado em Teologia.

Picture of Humberto Xavier

Humberto Xavier

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como