Pesquisar
Close this search box.

Apesar de amarelar

Por Jovanna Sarah Furrier Pinto

Aposto que você já ouviu falar na história da Chapeuzinho Vermelho! Aquela da menina… que encontra o Lobo Mau que come a vovozinha e ainda se passa por ela para enganar a netinha… Mas e a de uma menina com chapéu cor de sol, que também topou com o tal lobo, você conhece? Pois é, é a história da ‘Chapeuzinho Amarelo’, um livro escrito por Chico Buarque de Holanda e ilustrado por Ziraldo, que ganhou o prêmio Jabuti em 1998.


Nessa versão do conhecido conto de fadas, a protagonista vive amarelando na hora que o medo bate, mas um lobo no caminho vira tudo de cabeça para baixo (ou seria o contrário?): “Era a Chapeuzinho Amarelo. Amarelada de medo. Tinha medo de tudo, aquela Chapeuzinho. Já não ria. Em festa, não aparecia. Não subia escada, nem descia. Não estava resfriada, mas tossia […]”.


A menina de chapéu amarelo (não por acaso a cor do medo) teme tudo o que desconhece, até que um dia topa com um de seus maiores medos: o LOBO! “Mas o engraçado é que, assim que encontrou o LOBO, a Chapeuzinho Amarelo […]” Quer saber o que aconteceu? Por enquanto só posso revelar que se essa Chapeuzinho pudesse, provavelmente cantaria assim: Apesar de você (LOBO) amanhã há de ser outro dia…


O texto de Chico é recheado de rimas, repetições e inversões silábicas que tornam a leitura muito atraente aos pequenos leitores. Como no momento que que a Chapeuzinho topa com seu maior medo cara a cara e começa a repetir o nome dele sem parar (leia rápido e descubra a inversão): LOBO LOBO LOBO LOBO LOBO…


Pois é, Apesar de Amarelar, a menina enfrenta o desconhecido de cabeça erguida e com muito entusiasmo, literalmente rindo na cara do medo, mostra que até mesmo aquilo que mais tememos (se olharmos bem de perto) pode nos fazer sorrir.


Tanta invencionice (ou seria inversionice?) traz uma incrível sensação de envolvimento, como se os leitores caminhassem junto com a menina medrosa, compartilhando aflições e alegrias. E então, o que está esperando para ingressar com Chico, Ziraldo e Chapeuzinho nessa aventura pra lá de amarela?

Jovanna Sarah Furrier Pinto é graduanda em Letras Português pela Unespar de Apucarana.
Picture of Carla Kühlewein

Carla Kühlewein

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como