Pesquisar
Close this search box.

Entenda a greve em Hollywood

Por Samuel M. Bertoco

Sim, a série que você assiste e o filme que você tava esperando lançar vai atrasar. Atores – desde o figurante até os Brad Pitt da vida – estão em greve. Mas vocês sabem por quê?


Antes é importante entender que sim, Di Caprio é multimilionário e Julia Roberts tem uma ilha, mas são exceção. A maioria dos atores não são ricos, e mesmo esses grandes astros, apesar de ganharem muita grana – estão nessa mais pela influência – ainda é uma fraçãozinha perto dos que abocanham as Warners da vida.

Mas afinal o que eles querem?
As reinvindicações de atores e roteiristas são parecidas e tem bastante item, mas o pega são duas coisas. Primeiro, ganhos residuais de uma obra no streaming. Hoje os atores e roteiristas, via de regra, são pagos um valor fixo pra uma série estar na Netflix, por exemplo, só que essa série fica anos lá sendo vista e revista. Na época da TV em que uma série era efetivamente “reprisada”, eles até ganhavam na reprise, hoje como fica “ad eternum” os caras ganham uma vez e já era.


A reinvindicação é que haja algum ganho novamente depois de algum tempo na plataforma – que seria calculado de acordo com a popularidade da produção. Os estúdios alegam que não tem como medir o impacto de uma obra, a briga segue.


O outro ponto é a novidade das novidades: Estão escanceando a cara dos atores e utilizando em várias obras uma versão digital feita por Inteligência Artificial desse ator, que não ganha nada por isso, isso é especialmente assustador para figurantes e pontas, que pode ter sua cara escaneada e aparecer em centenas de filmes sem nunca mais pisar num set de filmagem – nem ganhar por isso. Por isso reivindicam que haja autorização para cada uso de imagem, os estúdios não querem, claro.


Existem outros pontos importantes, como o fim da “juntada” de vários roteiristas para agilizar a escrita – e receber por menos tempo – plano de saúde, aumento etc..As negociações já deram ruim e está tudo parado, sem previsão nem de voltarem a mesa de negociação. Nisso vai atrasando tudo e resta a gente apenas esperar…e rever o que já está aí – sem os caras ganhar por isso, inclusive.

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade

Picture of Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como