Pesquisar
Close this search box.

Mães do Cinema

Por Samuel M. Bertoco

Dona Nenê: A primeira mãe que me vem na cabeça é o estereótipo mais clichê das mães brasileiras

Em homenagem ao mês das mães resolvi lembrar algumas mamães famosas por aí. Bom, existem trocentos milhões de filmes e séries sobre mães. Comédia, drama, ação, terror…onde você olhar você vai achar uma mãe bem construída na telinha ou na telona. Então o exercício foi colocar o que primeiro vier na minha cabeça aqui. Nada de melhores ou mais conhecidas… só as que eu lembrei.

  • Dona Nenê: Pois é. A primeira mãe que me vem na cabeça é o estereótipo mais clichê das mães brasileiras. Nem por isso deixa de ser legal. Nenê é a síntese do que se espera de uma boa mãe, carinhosa, cuidadosa e defende suas crias com unhas e dentes. É um pouquinho permissiva e mima bastante os filhotes, que já não são tão filhotes assim… mas é isso que faz dela tão lega.
  • Sarah Connor: De uma mãe pacata pra uma bad ass que mata robôs assassinos. Mas Sarah é inesquecível. Forte, decidida – e um pouquinho obsessiva – Sarah protegeu não só seu filho contra os exterminadores e de quebra ainda salvou o futuro do planeta Terra. Matou uns inocentes no caminho… matou, mas que mãe nunca?
  • Dona Florinda: Como tudo em Chaves, as coisas são mais profundas e sérias do que parecem. A mãe superprotetora do Quico é muito amorosa com ele, mas também é cega pros defeitos – que não são poucos – reforçando quase tudo que o garoto faz de errado. Ela praticamente não desgruda do Quico, menos quando chega o Professor Girafales, aí ela bota o moleque pra fora e tranca a porta.
  • Rochelle: Quem passou a adolescência vendo Todo Mundo Odeia o Cris como eu jamais vai esquecer do lema “façam as coisas direito porque não vou cuidar do bebê de ninguém”. A mãe do Cris parece dura, mas no meio da dificuldade de criar seus três filhos e ter seu marido em vários empregos ela conseguiu fazer com que todos virassem pessoas do bem, na porrada, mas viraram.
  • Menções: Dona Hermínia, Catlyn Stark, Tia May, Mamuska, Norma Bates

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade

Picture of Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como