Pesquisar
Close this search box.

Misericórdia para todos

Por Humberto Xavier Rodrigues

Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente. Tito 2:11-12.

Muitas tentativas têm sido feitas no sentido de definir e expressar o significado da graça. Dentre elas, encontramos esta definição “popularmente conhecida” e comumente usada: “Graça é Deus dando tudo e fazendo tudo a quem nada merece”.


O Dr. Rimer conta, que em certa, ocasião levou um índio, nascido no Norte dos Estados Unidos, para conhecer o Oceano Pacífico. O mesmo ficou encantado com a imensidão das águas, com as ondas encapeladas, a visão foi deslumbrante. O índio ficou horas a fio contemplando aquele espetáculo nunca antes presenciado.


Quando chegou a hora do regresso, Dr. Rimer viu o indígena correndo com uma garrafinha na mão, a fim de enchê-la: queria mostrar o Oceano Pacífico para os seus conterrâneos.

“Que ingenuidade!” Balbuciou Dr. Rimer. Esta mesma ingenuidade demonstrada pelo índio é revelada a nós, quando nos dispomos a falar do Oceano da Graça de Deus.


João Bunyan, em sua meditação sobre as insondáveis riquezas da graça do Filho de Deus, exclamou:
“Ó Filho do Bendito! A graça Te tirou de Tua glória; a graça Te trouxe para a terra; a graça fez com que tomasse sobre Ti o peso de nossos pecados, peso inexplicável de maldição; a graça se encontrava em Teu coração; a graça sangrou de Teu lado ferido; a graça estava em Tuas lágrimas; a graça se achava em Tuas orações; a graça se derramou de Tua fronte coroada de espinhos! A graça se apresentou com os cravos nas mãos e os espinhos na fronte! Ó, aqui estão as insondáveis riquezas da graça! Graça para alegrar o pecador! Graça para a admiração dos anjos! Graça para atemorizar os demônios!”


A graça atrai gente dos quatro cantos da terra, no intuito de formar um novo homem, uma nova criação em Cristo. Cristo saiu da morte, e nós, da morte saímos com Ele. Deus comunica-nos esta vida, Ele nos encontrou perdidos em delitos e pecados e, por pura graça nos salvou. Receba pela fé, o dom inefável de Deus!


Somos salvos pela graciosidade de Jesus, Graça esta, que se manifestou salvadora a todos os homens, sem exceção. Viver pela fé é crer na total suficiência de Jesus e estar satisfeito com tudo o que Ele fez. Amém.

Humberto Xavier Rodrigues é formado em Teologia.

Picture of Humberto Xavier

Humberto Xavier

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como