Pesquisar
Close this search box.

O Descanso da Alma

Por Humberto Xavier Rodrigues

Porque assim diz o SENHOR Deus, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes. Isaías 15:30

O homem atual, muito mais do que em outras épocas, não é dono de sua própria vida. Vive correndo contra o relógio e arrastado pela avalanche do consumismo compulsivo. Além disto, sabe muito bem usar o arsenal tecnológico de comunicação disponibilizado pela ciência, para tentar preencher o vazio existencial com coisas.


Por isso, precisamos buscar diligentemente a quietude do espírito se quisermos ter uma vida significativa enquanto peregrinos aqui na terra. Sêneca, velho filósofo e dramaturgo, há muitos séculos dizia que, quando saía com os intelectuais ou se fazia acompanhar dos dramaturgos, voltava para casa exausto e terrivelmente rouco.


Às vezes temos a mesma experiência quando estamos com as pessoas; falamos… falamos… e falamos, somos compulsivos no falar. Com certeza precisamos do toque da graça de Deus para ficarmos em silêncio em muitas circunstâncias. “ Quanta coisa evitaríamos se ficássemos calados”!


Relata-se que Domingo de Guzmán visitou Francisco de Assis e que, no transcorrer do encontro, nenhum dos dois falou uma palavra sequer. Somente depois de aprender a ficar verdadeiramente quietos é que seremos capazes de falar ao mundo.


Catherine de Haeck Doherty escreve: “Tudo em mim está silencioso … estou imersa no silêncio de Deus.” É no descanso que experimentamos o “silêncio de Deus”, e no silêncio de Deus ouviremos a Sua voz. Descanso em que, o espírito está pronto para ouvir Deus e estabelecer comunhão com Ele.


Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. Mateus 6:6.


É muito importante que tenhamos a consciência da presença de Jesus – que Ele nos vê e nos ouve. Aquietar e permanecer em silêncio diante de Deus é ter a capacidade de “ver” e ouvir. Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes no mundo, por esta razão, precisamos nos aquietar em Sua presença para discernirmos de onde vem aquela voz.


O silêncio pode ser sinônimo do que João da Cruz chamou de “noite escura da alma”. Segundo ele, a noite escura (as aflições do dia a dia ) tem como propósito nos levar a experimentar os cuidados de Deus e o quanto Ele nos ama.

Amém!

Humberto Xavier Rodrigues é formado em Teologia.

Picture of Humberto Xavier

Humberto Xavier

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

literatura

Coisas do coração

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein “O coração fica sempre no mesmo lugar?”. Essa é a pergunta que a curiosa Valentina faz para sua mãe, bem

literatura

Rabos literalmente presos

Sobrelinhas – por Maria Fernanda Teixeira de Toledo Quem não tem rabo preso que atire a primeira pedra! Agora, cá entre nós… o que te

literatura

No País das Maravilhas?

Sobrelinhas – por Carla Kühlewein É bem provável que você já tenha assistido à versão dos Estúdios Disney do livro clássico de Lewis Carroll ‘Alice

Religião

Andar em Cristo

Por Humberto Xavier Rodrigues Ao entregamos nossas vidas ao Senhor, tudo o mais não é senão um conhecimento do que Ele é em nós, como