Pesquisar
Close this search box.

Os nomes de bandas mais legais – nacionais

Por Samuel M. Bertoco

Seguindo nosso tour pelos nomes mais legais das bandas, vamos agora as de casa. Olha, confesso que quando comecei a pensar deu uma certa deprê, porque é muiiitooo nome ruim – mesmo de bandas muito boas.


Tem um amontoado de nome que não tem uma sonoridade lega e nem tem nada a ver com nada. A começar com os anos 80, que foram onde estourou infinitas bandas de rock…RPM, Nenhum de Nós, Engenheiros do Hawaí, Paralamas do Sucesso – Jesssus, esse é ruim com força – Plebe Rude, Capital Inicial- outra que chega a doer o rim de ruim. Gente que criatividade é essa? Eu sei que elas podem lá ter sua origem bacana, inusitada, mas não da né. Legião Urbana e Barão Vermelho são dois nomes que gosto bastante, o primeiro por ter muito a ver com a vibe e o que cantava a banda e a segunda por ter uma sonoridade legal – embora não tenha nenhuma relação com nada que tenha a ver com os caras. Titãs é muito bom, mas só porque alguém teve a ideia de dar uma encurtada, porque era Os Titãs do Iê Iê Iê. Blitz também passa pela sonoridade do nome.


Dos anos 90 vem uma das que eu mais gosto – provavelmente top 2 ou 3 – que é Raimundos. Que nome bom! Tem a sonoridade, tem a brasilidade, é um nome forte e ainda é uma homenagem abrasileirada da banda que os caras são ídolos, os Ramones. O Rappa também atende esses critérios, mas é menos legal. Aí vem dois nomes que gosto muito que são Skank e Charlie Brown Jr., sonoridades da hora, só que tirado da criatividade do infinito do nada.


Finalizando com a minha preferida: Mutantes. Sempre achei o nome massa por si só, e tem tudo a ver com os caras, com o som meio fora dos padrões e as constantes evoluções e mudanças dos som deles. Junto com Raimundos no topo.


Fecharia meu pódio com Velhas Virgens, fora da casinha assim como a banda – e ambos muito bons.

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade

Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Religião

Morrer ou, morrer

Por Humberto Xavier Rodrigues Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não

literatura

Duas casas, uma infância

Sobrelinhas – por Matheus Campana Godoi Antes de mais nada, um aviso: livros infantis nem sempre se passam em lugares fantasiosos, com reinos, castelos, reis,