Pesquisar
Close this search box.

Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Colunas
  6. /
  7. Cultura
  8. /
  9. Senhor dos Anéis: Os...

Por Samuel M. Bertoco

Quando a Amazon anunciou que faria uma série passada no mundo de Senhor dos Anéis, e que esta seria a série mais cara já feita, todos os olhos do mundo nerd se voltaram pra ela. Bom, não sem uns bons percalços, ela cumpriu bem seu dever e entregou uma produção bem digna.


Não, não é o Senhor dos Anéis que você assistiu vinte anos atrás e – se for do meu time – decorou praticamente todas aquelas 12horas de trilogia. A história se passa milhares de anos antes, exatamente na época que os anéis foram criados. A trama no geral é bem simples, como o universo de Tolkien comumente é. Pra você que ficou acostumado com a violência e complexidade de Game of Thorones/House of Dragon – já que tem muita gente comparando, visto que as duas séries de talvez as fantasias medievais mais famosas da história estão passando ao mesmo tempo em canais diferentes – fique ciente que é ouuutra vibe. Não espere personagens complexos com várias motivações e falhas humanas. Aqui os mocinhos são mocinhos e os maus são maus. Claro que há uma atualização bem vista na personalidade geral da galera pra acompanhar os tempos, mas mesmos personagens um pouco mais cinzas são facilmente compreendidos.


Aliás isso é um ponto forte, hoje em dia está muito comum querer fazer tramas e seguir caminhos muito complexos e eu tinha medo de que fosse pra esse lado, mas não, foi SdA do início ao fim.


De ruim, os elfos. Mal roteirizados, mal vestidos – ou bem demais, parece novela bíblica da Record – mal compreendidos por quem os escreveu, na verdade, faltou ler mais Tolkien. De bom, os anões. Bem roteirizados, bem produzidos, bem motivados. O núcleo dos anões é de longe o auge da série.

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade


De importante, sentir Senhor dos Anéis em cada segundo que eu assistia – inclusive, me incomodou um pouco uma certa tentativa de trazer os filmes toda hora à tona, seja com personagens, referências ou qualquer outra coisa. Mas Senhor dos Anéis estava lá, e agora – sem spoilers – vai estar mais ainda, e isso é bom demais.

Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Religião

Morrer ou, morrer

Por Humberto Xavier Rodrigues Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não

literatura

Duas casas, uma infância

Sobrelinhas – por Matheus Campana Godoi Antes de mais nada, um aviso: livros infantis nem sempre se passam em lugares fantasiosos, com reinos, castelos, reis,